Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Birras demasiado sérias

By Minerva, em 15.02.17

Como referi no último post admiro quem tem tempo para se dedicar a um blog, é um projeto interessante, enriquecedor de tantas e diversas formas, pela partilha, pelos conhecimentos travados com pessoas que de outra forma nunca nos cruzaríamos.

O objetivo deste blog sempre foi exorcizar demónios, queimar pensamentos que me assolam, desopilar, uma fuga para os dias em que a tela do ecrã me pesa demasiado e em que me sinto compelida a mudar a paisagem e o contexto, dessa necessidade nasceu o blog.

Sou uma pessoa deveras ocupada, com uma vida profissional exigente e uma vida social preenchida, falta-me tempo para fazer tudo o que gosto e por mais que goste de ter um blog não tenho tempo para cuidar dele e não tive outra solução do que me resignar a escrever esporadicamente.

Entretanto pedi à minha assistente, a única pessoa que sabe que tenho um blog, para ir controlando o e-mail do blog e as suas reações, não que estivesse à espera de ser contatada, mas não quis deixar o projeto totalmente ao abandono.

 

Para meu espanto esta segunda recebo um e-mail com a informação do blog, alguém haveria realizado um link para o blog, à primeira vista não estava a identificar o assunto, mas a minha memória logo associou o nome Filipa ao nome Mafalda.

Não abri, já sabia que dali não surgiria nada de bom e o melhor seria ignorar, tenho pouca paciência para pessoas que não têm sentido de humor, quando à falta de poder de encaixe se juntam a falta de sentido crítico e de resignação e uma visão toldada pela construção de uma realidade muito própria e alternativa a única coisa que se pode fazer é ignorar.

Não há muito a dizer a alguém que vive centrado em si mesmo, que não aceita nenhuma opinião além da sua e que vive em constante incoerência, deve ser insuportável viver sempre no limbo entre o que se escreve e o que realmente se faz.

Estava decida a ignorar até hoje quando a minha assistente que é também uma amiga próxima me questionou sobre o assunto, quando lhe disse que nem sequer tinha aberto o link a resposta dela surpreendeu-me, disse-me que claramente não haveria lido, pois se tivesse lido com certeza haveria um novo post no blog e não havia nenhum.

Com esta observação senti-me obrigada a abrir e ler o que a Filipa tinha de tão importante para me dizer para me mencionar pela terceira vez, por mais que me custe estar a dar-lhe tempo de antena o que li no seu blog é demasiado grave para que me remeta ao silêncio.

 

Filipa,

Antes de mais deixe-me dizer-lhe que tenho todo o respeito por pessoas que sofrem de síndromes de transtorno de personalidade, segundo li no seu blog foi-lhe diagnosticada Síndrome de Borderline, também chamada de transtorno de personalidade limítrofe, esta síndrome é caracterizada por mudanças súbitas de humor, medo de abandono pelos amigos e comportamentos impulsivos.

Em outras ocasiões menciona que é bipolar, fica-se sem saber se também lhe foi diagnóstico o transtorno bipolar, as duas condições são por vezes confundidas e difíceis de diferenciar, mas se é seguida corretamente deverá saber se tem transtorno de personalidade limítrofe ou um transtorno bipolar, ou ambas.

Muitas pessoas afirmam-se como bipolares sem conhecerem o real significado deste transtorno, enquanto a síndrome de Borderline é um transtorno de personalidade, a bipolaridade é um distúrbio mental, bem mais grave e com maiores consequências na vida do doente, se é doente mental talvez deva procurar ter outro tipo de acompanhamento.

Apesar do seu discurso incoerente e do claro egocentrismo, não me parece que sofra de bipolaridade, mas não sou especialista.

 

Em todo o caso, a Filipa claramente tem um problema de compreensão, tem uma forma muito própria de ver o mundo em geral e em particular a blogosfera e isso faz com que percecione as coisas de forma singular. Mais do que um problema com este blog, está patente um problema com uma blogger bem conhecida e querida por todos dentro da comunidade do Sapo Blogs e não só.

A Filipa já teve diversos blogs que abre e encerra conforme a sua vontade, demonstrando falta de persistência, constância e objetivo, admite que a falta de interação nos seus blogs a entristece.

 

Está visivelmente a canalizar a sua frustração de não conseguir atingir os seus objetivos com o blog para o sucesso do blog Chic’ana, isso só faz com que se sinta pior, martirizar-se com o sucesso dos outros, critica-lo e tentar ridiculariza-lo só a diminui a si.

Está a expor-se sem qualquer necessidade, insistir num não assunto não é o caminho, questionar se o que determinada autora escreve é ou não digno de leitura não é produtivo, porque em última instância quem decide o que quer ler é o leitor.

 

Esta perseguição que faz não é mais do que uma perseguição a si própria, remexendo na ferida sem nunca a deixar curar, não pode justificar o facto de não conseguir os leitores, os comentários e o apoio que desejaria criticando o sucesso dos outros, é contraproducente, porque só está no fundo a afastar as pessoas que leem e a comentam e a julgar pelo que escreve e pelo que conheço do blog em questão são muitas.

Se tem consciência do transtorno que tem, deve ter consciência também que isso condiciona a forma como interage com as pessoas e como vê o mundo, por isso antes de julgar todas as pessoas como estando erradas, pergunte-se a si mesma se não será a Filipa a estar errada.

Acusam-na de mimada, porque o que a Filipa está a fazer é uma birra, embirrou com uma pessoa que não tem nada a ver consigo e com a sua situação e não consegue seguir em frente, um comportamento típico de pessoas mimadas que não conseguem aceitar que o mundo não é sempre como elas querem e desejam.

 

Deixe-se de queixumes e centre-se no que é importante, deixe de se enganar a si própria, se estivesse bem consigo não estaria constantemente a voltar ao assunto do sucesso dos blogs, é claro que ter um blog de sucesso é importante para si, aceite isso e aceite também que um blog de sucesso não se constrói em dois dias, requer tempo e dedicação, persistência, e se há pessoas que têm mais facilidade em consegui-lo é porque o seu carisma, personalidade ou forma de escrever são mais cativantes, não somos todos iguais e ninguém é excelentes em todas as matérias.

Aproveito também para lhe dizer que usar respostas dadas por pessoas a determinadas questões e usa-las para responder ou exemplificar situações completamente distintas, não é sinal de inteligência, demonstra antes dificuldade em discernir e distinguir conceitos e situações.

Não ambiciono que com este texto perceba tudo o que lhe explico, mas espero que sirva para que reflita sobre a sua atitude, tal como refere num dos seus posts, desceu na consideração de muitos bloggers, com o comportamento obsessivo e abusivo que tem demonstrado é mais do que normal que isso aconteça.

Fechar este blog e abrir outro, mudar o nome do blog e até de nome de utilizar não é a solução, pois toda a blogosfera já a conhece e o seu egocentrismo não lhe permitirá manter o anonimato por muito tempo, se quiser realmente ganhar um lugar de destaque, mude de atitude.

Este post é a última vez que lhe dirijo palavras e tempo, se quiser continuar centrada em si e achar que é a única pessoa certa no mundo, qual narcisista inveterado, o problema é acima de tudo seu.

 

Seja feliz e deixe a felicidade e o sucesso dos outros em paz.

atiçado às 17:30

2016, o ano que decidi ter um blog

By Minerva, em 27.12.16

2016 está quase a terminar e o meu novo projeto, este blog, está ainda longe de se concretizar, em Julho decidi criar este blog porque quis passar de expetadora a interveniente, mas se ler os blogs que sigo é tarefa difícil, manter um blog é ainda mais.

Admiro quem consegue publicar regularmente, não só pela inspiração, mas pela capacidade de encontrarem tempo nas suas agendas para publicar, pode parecer simples, mas mesmo que seja um desabafo de três linhas, é preciso abrir o editor, escrever e publicar e no meio de tantos compromissos diários, os cinco minutos que demoraria a publicar, fazem-me falta para outras situações.

Aproveitarei esta semana para escrever mais um pouco e partilhar com quem quer que esteja desse lado os meus pensamentos.

Espero que tenham tido um excelente Natal e que estejam preparados para abraçar 2017 com garra e vontade de vencer quaisquer que sejam os objetivos e/ou resoluções que se proponham.

Acima de tudo lembrem-se que a felicidade é conquistada um passo de cada vez, tudo o que é realmente bom e nos é caro não custa dinheiro, mas esforço e dedicação, por isso dediquem-se a ser felizes.

atiçado às 16:43

Não sou uma blogger catita

By Minerva, em 13.10.16

A Mafalda das maçãs, perdão a Maçã da Mafalda perguntou e eu como sou uma pessoa bem-educada, revolvi responder.

 

Publiquei há dias uma foto no meu Instagram que já conta 102 gostos e muitos comentários engraçados, a foto reflete a minha alma de blogger, como é compreensível não irei publicar aqui a foto por questões de privacidade, porque eu no meu Instagram pessoal gosto de mostrar aquilo que sou sem filtros. Sem filtros leia-se sem rodeios, pois é óbvio que uso os filtros do Instagram, como poderia mostrar de outra forma a auréola azulada-dourada que tenho à volta da minha linda cabecinha?

E que tipo de blogger sou eu? Pois que não sei, só sei que não sou uma blogger catita e que não tenho qualquer futuro em ser a próxima Pipoca Mais Doce, mesmo que nunca tenha tido pretensões a tal, mas isso agora não interessa nada.

E porque é que não sou uma blogger catita?

Antes de mais vamos definir a palavra catita:
Elegante; que se veste muito bem; que se destaca pelo modo gracioso de agir. Atraente.

Agora que já leram o que significa no dicionário esqueçam o que leram, pois ser uma blogger catita é ter um escritório de princesa, mesmo que não gostem nada dessas decorações pindéricas, e o que é ter um escritório de princesa? É ter numa secretária tudo o que o uma blogger sonha ter:

Um MacBook, um iPad, um iPhone, uma máquina fotográfica Instax Mini 8 e uma agenda do Mr. Wonderful e claro um blog… (dá sempre jeito ter um blog para ser blogger) e não esquecer muita paciência, imaginação e criatividade para a escrita.

Assim por esta ordem, o que interessa é ter estes objetos todos e depois é preciso muita paciência para que a imaginação chegue e traga com ela a criatividade para escrever, os textos não caem do céu e ser blogger não é fácil.

Diz também que é preciso fazer um esforço para sonhar, mais um ponto que não cumpro, porque eu não me esforço nada para sonhar, eu até luto contra alguns sonhos por saber que são impossíveis, não é possível, ainda (lá estou eu a sonhar), estar em dois locais ao mesmo tempo e isso arruína a maioria dos meus sonhos, mas deixemos isso para outra altura.

É preciso lutar muito para transformar os nossos sonhos em objetos que usamos com muito carinho e claro escrever muito e, acima de tudo, quase que me esquecia, é preciso ser feliz.

Mas deixemo-nos de lamechices, eu tenho muitos objetos de sonho em casa, fruto do meu trabalho do dia-a-dia e outros fruto do amor que as pessoas mais próximas nutrem comigo, por exemplo, o meu gato tem uma coleira de princesa fruto do amor que eu o meu namorado nutrimos em conjunto por ele. Já eu tenho imensas peças de roupa fruto do amor que nutro comigo própria. É tão bom nutrir amor connosco próprios.

Eu sempre soube que há bloggers que estão num nível acima do meu, mas pensava que estava ali no patamar do meio, afinal estava enganada, é que estou mesmo no nível inferior, no rés-do-chão, só não estou na cave porque por algum demónio achei que precisava de uma agenda do Mr. Wonderful.

Eu sei que podia ter mais, muito mais, é por isso que me esforço por acordar todos os dias e ir trabalhar, porque por mim dormia até tarde todos os dias, mas continuo a fazer um esforço para alcançar mais uma meta dia após dia, hoje, por exemplo, fiz um esforço enorme para escrever este texto, com menos 6 tubos de sangue e falta de horas de sono fazem com o que meu cérebro não oxigene muito bem e é difícil ter estas ideias fantásticas, especialmente depois de tanto tempo afastada da blogosfera.

Convencida? Vá um pouco… mas é sempre bom gabar-nos de tudo o que conquistamos dia após dia. E não é só colecionar maçãs … também é preciso muita criatividade e ser aquilo que somos.

Afinal todos nós sonhamos ser as melhores bloggers do bairro, mesmo os bloggers masculinos e mesmo aqueles que estão alojados noutras plataformas.

Não vale mentir, mesmo que cruzem os dedos!

Mas vá! (não vá nada continue a ler).

Pergunto aos bloggers que por aqui passam, na vossa imparcial opinião, o que é preciso para ser uma blogger catita?

Eu já sei que não sou e vocês? Serão?

Não vale a pena dizerem que se vestem bem, que são graciosas e atraentes e muito menos jurarem que escrevem bem, que acertam nas conjugações dos verbos e dos pronomes.

Ou copram maçãs ou nunca serão bloggers catitas.

atiçado às 15:49

Obrigada Sapo

By Minerva, em 07.07.16

Foi muito bom ser reconhecida por esta grandiosa comunidade que se mobilizou para me agraciar com boas vindas. Conquistei um honroso 8º lugar nos posts mais comentados do dia. Para uma estreia não poderia desejar melhor.
 
Conto, como muitos de vocês disseram: “Incendiar o pedaço”, “ ver a fogueira sempre bem atiçada. Que nunca falte lenha, combustível, papel ou qualquer outra coisa que decidas queimar”.
Mas o que eu gostava mesmo é que este blog assuma um papel crucial “Espero e desejo que não seja somente mais um. Mas o blogue... o tal!”
Não gosto de desiludir as pessoas, e, por isso, deste blog podem esperar grandes fogueiras, chamas crepitantes e muito esbrasear.
A lenha já está empilhada e as acendalhas posicionadas, nova fogueira em breve.
Até lá sintam-se bem, sintam-se quentinhos.

atiçado às 10:06

Porquê ter um blog?

By Minerva, em 06.07.16

Não faço ideia. Dizem que é para desabafar e falar do que nos apetece, tendo tanto a confessar ao mundo resolvi criar um.

Escolhi o Sapo Blogs porque é uma plataforma portuguesa, onde estão todas as bloggers fashion e as mais lidas, se é favorável para elas também será para mim.

Fogueira das Vaidades por dois motivos, primeiro porque além de vaidosa, adoro fogueiras, quem não gosta de contemplar o crepitar das chamas? Segundo porque será um espaço para incinerar inconfidências, incandescer considerações e incendiar desabafos.

Será uma fogueira que arderá enquanto me aprouver, uma fogueira que queimará publicamente o que me vai na alma, poderão ser polémicas ou farrapos dependendo do estado de espírito.

Conto convosco para alimentar este fogo que teima em queimar. Não existem regras, não existem épocas nem locais, não existe censura ou benevolência, apenas o meu lado mais negro, aquele que queima por dentro e que será agora incinerado em público.

Os pensamentos mais sombrios, os desejos inconfessáveis, os anseios proibidos, todas as palavras que queimam no pensamento e se apagam antes de proferidas queimarão agora com voracidade, luxúria e arrebatamento, dançando nas linhas do blog ao ritmo frenético do bater das teclas.

Sintam-se bem, sintam-se quentinhos.

Bem-vindos à minha fogueira.

atiçado às 15:25


Minerva

foto do autor



Cinzas

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D



Fogueiras dos outros